Os títulos mais vendidos do Grupo Lendari na Bienal Internacional do Rio

Um dos maiores eventos literários do país, a Bienal Internacional do Rio de Janeiro ficou marcada, também, pela resistência e contra a tentativa de censura imposta pelo bispo Marcelo Crivella contra obras consideradas “impróprias”, o que atinge, por exemplo, o Atlas Ageográfico de Lugares Imaginados, fantasia de Ana Cristina Rodrigues que conta com personagem bissexual.

Apesar das polêmicas, o Grupo Lendari fez um ótimo evento e sai fortalecido em todos os seus selos editoriais: Lendari, Callenda, Casa Literária e PULP Comics. No total, foram 23 títulos levados ao evento, dos quais destacamos oito deles entre os mais vendidos ao longo dos dez dias de evento.

Agradecemos ao público carioca pela receptividade, carinho e prestígio por nossos projetos editoriais. Nossa equipe perdeu a conta de quantos visitantes procuraram o estande N110, da Coesão Independente (coletivo de editoras da qual fazemos parte), em busca de obras “da Lendari”.

  • Atlas Ageográfico de Lugares Imaginados, de Ana Cristina Rodrigues (Lendari);
  • As Crônicas de Wesley: 1, de Wesley Mercês (PULP Comics);
  • As Crônicas de Wesley: 2, de Wesley Mercês (PULP Comics);
  • Ângulo de Vista: a vida por outro ângulo (segunda edição), de Rafael Fritzen (PULP Comics);
  • Intercontinental 767, organizado por Mário Bentes e Rodrigo Ortiz Vinholo (Lendari);
  • 2084: Mundos Cyberpunks, organizado por Lidia Zuin (Lendari);
  • Creepypastas: lendas da internet, organizado por Glau Kemp (Lendari);
  • Momento Errado, de Giulliana Fischer Fatigatti (Callenda);

Last modified: 10/09/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *