Lendari revela capa de ‘Creepypastas 2’ e anuncia edital para 01/06

Creepypastas: lendas da internet foi a primeira antologia lendária de 2018. Segundo volume prevê lançamento na HorrorExpo 2019, em outubro deste ano, em São Paulo.

Capa de Creepypastas: lendas da internet (Volume 2), em ilustração de João Henrique de Jesus Gomes e montagem tipográfica por Marina Ávila.

O tão esperado edital do segundo volume de Creepypastas: lendas da internet já tem data de lançamento. Em post feito nas redes nesta terça-feira, dia 21 de maio, a Lendari marcou a liberação do edital e início das inscrições para 1.º de junho.

O cronograma da editora prevê pelo menos dois meses de recebimento de contos originais, visando o lançamento da obra na HorrorExpo 2019, em outubro, um dos maiores eventos do gênero na América Latina no qual a Lendari estará presente.

O segundo volume da franquia mantém a escritora Glau Kemp (Quando o mal tem um nome) como organizadora e o projeto tipográfico de Marina Ávila, bem como o artista responsável pela ilustração principal, João Henrique de Jesus Gomes.

“Os detalhes estarão no edital a ser publicado em breve, mas podemos adiantar que, desta vez, as histórias terão que obrigatoriamente se passar no auge dos anos 90, período de ouro das creepypastas”, explica o editor-chefe da Lendari, o escritor Mário Bentes.

O primeiro volume de Creepypastas: lendas da internet trouxe histórias que se passavam na década de 90, mas também reuniu excelentes histórias atuais, usando redes sociais e outras mídias modernas, como forma de propagação das histórias. “Neste volume 2, queremos histórias mais vinculadas à época de origem das creepypastas”, afirma Bentes.

Capa do volume de estreia de Creepypastas: lendas da internet (2018), em ilustração de João Henrique de Jesus Gomes e montagem tipográfica por Marina Ávila.

Antes da Deep Web

“Creepypastas” são histórias macabras que surgiram nos primórdios da internet discada, muito antes das conexões de banda larga e da Deep Web, especialmente em fóruns de discussão e salas de bate-papo que faziam sucesso nos anos 90.

Como as histórias assustadoras não tinham fonte conhecida e eram replicadas a esmo em centenas de páginas – muitas vezes sendo adaptadas ao público de cada país – ganharam o nome de creepypastas: de copy +paste ou “copiar e colar” de histórias assustadoras ou bizarras (“creepy”).

“Assim como no primeiro volume, os autores deverão criar histórias inspiradas em creepypastas, sejam elas famosas ou não, para conceber seus próprios enredos. Estamos animados para dar continuidade do legado de sucesso do primeiro livro, que inclusive inspirou outras editoras a explorarem o termo”, afirma o editor-chefe.

Last modified: 21/05/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *