Lendari entrevista: Wellington Oliveira, autor de “Pássaros Exóticos”

Wellington Oliveira é autor da obra 6-Uma Comédia Romântica e do conto de horror O Buraco Podre Da Lagarta. Na entrevista a seguir, ele conta um pouco sobre suas influências, inspirações e expectativas de publicação de Pássaros Exóticos, seu mais novo livro.

Wellington Oliveira (Arquivo pessoal)

1-Qual o primeiro livro que você recorda de ter lido na vida? Qual autor(a) e falava sobre o quê?

Foi “O Menino Maluquinho” do grande Ziraldo. A história sobre a professora nada convencional que divertia e ao mesmo tempo mudava completamente a vida de seus alunos sem dúvida ficou marcada para sempre na minha memória de leitor.

2-Você recorda em que momento de sua vida sentiu desejo de ser escritor(a)? Explique.

Eu tenho bastante certeza que o meu desejo de ser escritor veio embutido com o meu processo de alfabetização. Eu sempre fui criativo, criava tramas com início, meio e fim usando os meus bonecos em miniatura e blocos de montar. Daí quando eu tinha de seis para sete anos de idade eu criei a minha primeira narrativa mesmo com o vocabulário ultra limitado que eu tinha que era sobre uma fada que ajudava as pessoas as advertindo quando havia algum perigo no caminho.

3-O que você já publicou até hoje? Fale um pouco de cada título, conto.

Meu primeiro contato com o mundo editorial (que também é quando eu considero que começou a minha vida como escritor profissional realmente) foi em 2012 quando em uma livraria do Rio de Janeiro acontecia a noite de lançamento de duas coletâneas, “Almoço em Família” e “Equinócios de Amor” da editora Alcantis e eu era o único autor lá que tinha contos em ambas as coletâneas. Foi uma noite inesquecível. Minha primeira sessão de autógrafos e tudo mais. No mesmo ano eu lancei o meu primeiro romance, “Sobre Mães, Filhos, Esposas & Maridos” pela Editora APED, o que foi muito especial porque para publicar eu venci o concurso da editora que buscava por novos talentos.

Assim, o meu prêmio foi a publicação da obra que conta trinta anos da vida de uma família que abraça tragédias e alegrias sempre com muito humor ácido. Nos anos seguintes eu ainda publiquei de forma independente em lugares como Amazon Kindle (lá há a minha obra “6 -Uma Comédia Romântica” e o meu conto de horror “O Buraco Podre Da Lagarta”), além de outros contos em coletâneas. Participei de concursos de roteiros de cinema (incluindo o concurso promovido pelo grande mestre da teledramaturgia brasileira, Aguinaldo Silva) e escrevo sempre. Sigo enchendo a minha gaveta com textos. É como uma terapia para mim e sempre pode chegar um dia quando um dos textos verá a luz das livrarias.

4 -Quais suas principais influências para suas histórias?

As pessoas ao meu redor, o que acontece com membros da minha família, o que acontece comigo mesmo. Eu sempre fui taxado como sendo muito observador. Eu estou sempre atento às pessoas nas ruas. Sou fascinado pelo elemento humano e é dos episódios mais banais da vida de onde nascem desde as minhas crônicas mais simples até as fantasias mais diferenciadas.

5 -E para texto, tem alguém em quem se inspire?

Filmes antigos (entre os anos 30 e 60) e novelas antigas (especialmente dos anos 80) são grandes inspirações para mim. Eu aprendi a escrever roteiros de cinema estudando sozinho os roteiros escritos pelo premiado roteirista Joseph L. Mankiewicz ( e inclusive eu considero o seu roteiro do filme “A Malvada” de 1950 um dos melhores roteiros de todos os tempos), assim como já tive tantas e tantas inspirações para construir vilãs nas minhas obras enquanto eu saboreava os textos de um dos grandes gênios da teledramaturgia brasileira, Gilberto Braga.

Recentemente eu me desafiei a escrever um texto com a longa duração de um novelão de TV clássico que intitulei de “Os Corações Sobreviventes” e postava diariamente os capítulos gratuitamente na plataforma Wattpad e foi uma experiência incrível (em breve baterá a marca de 45.000 leituras). Teve 227 capítulos. Foi uma delícia ter o retorno diário dos leitores, eu trabalhei todos os clichês dos textos de folhetim típicos das novelas, o que me divertiu muito, e sem qualquer dúvida havia a influência de grandes nomes da teledramaturgia brasileira como o de Gilberto Braga em cada novo capítulo que eu escrevia e disponibilizava para o público.

6-Fale um pouco do novo título que será publicado pela Lendari.

Eu me sinto extremamente honrado de ter recebido a oportunidade de publicar a obra “Pássaros Exóticos” pela editora Lendari. O livro é do gênero fantástico e conta a história de duas jovens irmãs, Verônica e Lara, que sempre foram odiadas por todos no mundo mágico onde vivem sem nunca saber o motivo.

Chega o dia quando elas não suportam mais viver assim e decidem ir atrás de respostas, mas para isso elas cruzarão os limites proibidos de seu mundo e encontrarão mortais inimigos, novas culturas maravilhosas, criaturas e feitiços inimagináveis e até mesmo o amor e lições dolorosas, porém necessárias.

7-O que os leitores podem esperar de seu novo título?

Os leitores podem esperar por mundo mágico e fantástico diferente de tudo o que eles já conheceram, assim como intensas emoções que vão desde passagens emocionantes sobre perdas e aprendizado, passando por personagens bizarros e hilários, até revelações surpreendentes.

8-Quais suas expectativas com esta nova publicação?

Eu espero que cada leitor que adquirir o livro se sinta dentro do melhor parque de diversões que já existiu, porque foi assim que eu idealizei a obra. Eu espero que ao fazer a leitura cada leitor aproveite da experiência única de realmente se sentir explorando os abismos de cor roxa, correndo pelos campos de flores que têm vida própria, interagindo com os majestosos pássaros de vários metros de altura.

O meu real desejo é que a leitura de “Pássaros Exóticos” seja uma experiência inesquecível para cada um que leia, abrindo horizontes de sua imaginação que talvez nem achassem que era possível.

9-O que espera de seu futuro como escritor?

A minha maior alegria como escritor é quando (seja pela novela que publiquei online diariamente ou pelos contos que distribuo em arquivo.pdf na minha página do Facebook) eu tenho o retorno dos leitores me dizendo coisas do tipo “eu chorei no final” ou “eu estou rindo muito aqui”, “que ódio eu tenho dessa mulher!”.

É a minha alegria maior quando o que eu escrevi deixa de ser só um aglomerado de palavras que eu idealizei para se transformar em algo que consegue ser tão maior a ponto de realmente mexer com os sentimentos das pessoas. Então o que eu espero para o meu futuro como escritor é ter a oportunidade de alcançar o maior número de leitores possível para ter cada vez mais esse retorno que para mim é a melhor parte de todo o processo.

10-Qual sua avaliação do mercado editorial hoje, principalmente na literatura nacional?

Portas começam a ser abertas, mas ainda é muito pouco. Especialmente no Brasil, tudo é difícil demais para as editoras (financeiramente, logisticamente) e em consequência nesse cenário fica difícil para que as editoras abram as suas portas para todos os novos talentos como assim desejam.

Quando eu vejo a lista dos livros mais vendidos do ano no país e percebo que os títulos nacionais presentes são em sua grande maioria livros de youtubers ou biografias de celebridades, eu só penso nos tantos talentos da nossa literatura que poderiam muito bem ter os seus livros figurando nessa lista e que hoje continuam com os seus textos repousando em gavetas porque falta a oportunidade.

11-Deixe suas redes sociais, sites e canais de comunicação para contatos com leitores.

O meu principal canal de comunicação no momento é a minha página de autor no Facebook. Estou feliz porque a página em breve alcançará a marca de 10.000 seguidores. Além de disponibilizar por lá gratuitamente em .pdf contos que eu escrevo e trazer novidades sobre as minhas obras, eu também posto lá os desenhos que eu faço e matérias relacionadas à cinema. Então fica o convite para que todos conheçam.

Last modified: 20/05/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *