Callenda entrevista: Rebeca Beatriz, autora de ‘Devaneio’

Poética, sensível e aplicada. Rebeca Beatriz é uma colecionadora devaneios. E por falar em devaneio, que tal a gente trocar uma ideia sobre o seu lançamento que vai rolar em breve? Devaneio é a primeira obra física escrita pela autora, publicada em breve pelo selo Callenda.

Rebeca Beatriz (Foto: Antônio Lima)

Por Zoé Ramos

Oi, Rebeca! Conta pra gente: como e quando você começou a se interessar pela literatura e a escrever?

Foi na adolescência. Eu lia bastante. Primeiro porque queria passar no vestibular. Depois, porque comecei a criar gosto pelas histórias. Adorava os romances! Mas algumas vezes não me conformava com os finais. Sempre pensava “e se fosse diferente?”. Foi exatamente o meu lado questionador que me levou à escrita. Eu colocava no papel todos os meus pensamentos. Tudo que eu idealizava, mas não tinha coragem de dizer em voz alta, eu escrevia. E foi assim que comecei a criar meus próprios finais.

Sobre o que você costuma escrever?

Amor. Às vezes em excesso, às vezes por falta dele.

Como foi concebida essa ideia de finalmente escrever e lançar um livro?

Planejamento, foco e organização foram fundamentais. Pesquisei bastante sobre o mercado editorial no Brasil, e principalmente na Amazônia, porque eu não tinha noção alguma de como funcionava. Não foi algo que acordei e pensei “vou publicar um livro”. Teve muito esforço e muita dedicação. Teve dúvida, mas no fim teve certeza e o ‘Devaneio’, aos poucos se torna uma realidade.

Sabemos que você escreveu/escreve para algumas páginas e blogs. Conte mais sobre isso.

Além do meu blog Devaneio: Amores vividos, histórias inventadas, atualmente sou colunista em O Segredo. É um site colaborativo com um alcance de 10 milhões de seguidores. Já escrevi em outros com a mesma proposta: Beco do Poeta e Um quarto de Café. Todos funcionam da seguinte forma: várias pessoas produzindo conteúdo de maneira voluntária. Os autores enviam os textos, que passam por uma triagem/seleção antes de serem publicados. Autores como Isabela Freitas e Iandê Albuquerque (fortes influências no meu estilo) começaram escrevendo nesses sites e hoje têm best-sellers publicados.

Rebeca Beatriz (Foto: Emily Maduro)

Conta um pouco sobre o processo de trabalhar coma a Lendari?

Já conhecia o trabalho da Lendari, pois estava pesquisando o mercado editorial há algum tempo. Resolvi criar coragem e marcar uma reunião com o editor-chefe, Mário Bentes. Mostrei alguns textos meus e aguardei ansiosamente por um retorno, que para a minha felicidade, foi positivo! O Mário me falou sobre o novo selo da Lendari (Callenda) e a proposta combinava perfeitamente com os meus textos: amores, experiências e relacionamentos.

Após o lançamento, quais serão os seus próximos passos?

Me envolver cada vez mais com o universo literário. Participar de eventos que incentivem a cultura da leitura e incentivar novos escritores.

Você considera que seus textos são como um “diário pessoal”, ou escreve apenas sob a perspectiva de um personagem criado por você?

Meus textos transitam entre o real e o imaginário. É algo muito aleatório. Há muita coisa sobre mim, sim. Histórias que já vivi ou que gostaria de viver. Mas também existem textos inspirados em filmes, músicas ou nas histórias que ouvi de amigos. Todos os devaneios vêm da alma, de momentos que eu quero eternizar, mesmo que apenas em palavras.

Com relação ao público, como você sente a reação das pessoas sob os seus textos? Espera ter um retorno tão bom quanto, ao lançar o livro?

As pessoas se identificam e costumam dizer que estou contando a história da vida delas por meio da poesia. E de certa forma, estou. Todo mundo vivencia algum tipo de “devaneio” nos relacionamentos. Todo mundo já teve ou vai ter aquele amor eufórico. E todo mundo tem perguntas que precisam ser respondidas ou reformuladas quando o assunto é relações. É muito gratificante saber que meus textos ajudam nessas experiências, tão individuais, mas ao mesmo tempo tão cotidianas. Espero que o livro venha para aperfeiçoar esse processo, com as pessoas que já conhecem o meu trabalho, mas alcance também um novo público.

Teremos o e-book e o livro físico?

Sim! A tecnologia já faz parte da vida de muita gente. O público que prefere ler na tela do computador ou de um celular, poderá fazer isso. Assim como os apaixonados pelo cheiro e pela textura dos livros impressos também poderão contar com essa alternativa!

Falta muito tempo para o lançamento acontecer?

Pré-vendas já acontecem no início de junho. O lançamento vai ser no segundo semestre, com data e local a serem confirmados pela editora.

Last modified: 20/05/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *